José Pedro Fontes quer o "tri" no nacional de ralis

José Pedro Fontes (Citroen DS3 R5) inicia no sábado, em Fafe, a defesa do título de campeão nacional de ralis e está empenhado na conquista do 'tri', com a consciência de que terá forte concorrência.

Em vésperas do arranque da temporada, com o Rali Terras de Fafe, em 18 e 19 de Fevereiro, o piloto garantiu à agência Lusa estar "focado num só objectivo, o de conquistar o 'tri'", depois de ter alcançado em 2015 um título que perseguia há anos e de ter repetido a proeza em 2016.

Apesar do estatuto de bicampeão, o piloto do Porto, de 41 anos, não assume o papel de favorito. "Há muito e bons pilotos, muitos e bons carros, e é errado pensar que serei o principal candidato só porque ganhei nos últimos dois anos", afirmou Fontes, prometendo "lutar pela vitória em todos os ralis em que participar".

Em 2017, Fontes mantém-se fiel à Citroen Sport e ao DS3 R5 com que dominou na época passada. O carro para este ano é novo, mas, sem novas evoluções disponibilizadas pela marca francesa, mantém a mecânica e a tecnologia utilizadas em 2016. "O DS3 já provou que é competitivo e um carro vencedor, e acreditamos na equipa que mantemos condições para lutar pela vitória nos ralis", disse.

No ano do regresso do Rali de Portugal ao calendário nacional, Fontes não esconde a satisfação pela decisão da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), uma opção que o piloto há muito defendia.

"Acredito que é a melhor decisão que a FPAK tomou nos últimos anos, já que é importante para os pilotos poderem participar num rali em que o retorno para os patrocinadores é importante, e assim podemos definir melhor os nossos projectos para a temporada", considerou o bicampeão.

Um dos principais adversários de Fontes é João Barros (Ford Fiesta R5). À Lusa, o piloto disse querer fazer todo o calendário - oito das nove provas, como define o regulamento - e com o objectivo de "lutar pelo campeonato".

"Quero fazer um campeonato bonito e divertir-me nas provas, ser rápido e competitivo", completou.

O piloto de Paredes vai manter-se ao volante de um Ford Fiesta R5 que, tal como acontece com o bicampeão nacional, manterá as especificações de 2016, já que a marca não disponibilizou nenhuma evolução recente do modelo.

Mudanças no campeonato

A estrutura do campeonato 2017 tem algumas novidades comparativamente com os anos anteriores, desde logo, e a maior, a inclusão do Rali de Portugal (18 a 21 Maio) no calendário, e apresenta um 'parque automóvel' que deixa antever emoção e competitividade.

A prova de abertura, o Serras de Fafe, conta com 13 R5 e a presença de vários pilotos que já conhecem o sabor da conquista do título, casos de José Pedro Fontes (Citroen DS3 R5), actual bicampeão, Pedro Meireles (Skoda Fabia R5), vencedor em 2014, e Ricardo Moura (Ford Fiesta R5), tricampeão entre 2011 a 2013.

Há ainda outros pilotos com aspirações na competição, nomeadamente João Barros (Ford Fiesta R5), Carlos Vieira (Citroen DS3) ou Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), ex-campeão velocidade e de todo-o-terreno e que terminou no terceiro lugar do nacional de ralis em 2016. Expectativa ainda sobre a prestação de Manuel Castro, que vai estrear o novo Hyundai i20 R5.

A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) calendarizou um total de nove ralis - quatro em terra e cinco em asfalto - e promoveu algumas alterações importantes no regulamento, das quais se destaca o sistema de pontuação para as contas finais, em que os pilotos apenas contabilizam os sete melhores resultados das oito provas em que podem participar.

Para reduzir os encargos de participação nos ralis internacionais - Portugal, Açores, Madeira, Serras de Fafe e Algarve -, a FPAK obriga os pilotos a participar apenas em quatro destas cinco provas e permite a possibilidade de o decidirem apenas na altura do período de inscrição para os respectivos ralis, ao contrário do que acontecia antes, em que tinham de informar com antecedência sobre a sua opção.

O Campeonato Nacional arranca com o Rali Serras de Fafe, em 18 e 19 de Fevereiro, e encerra em 05 de Novembro, dia em que termina o Rali do Algarve.